Luciano Villalba Neto
O sempre é a minúscula parte do tempo que se renova a cada piscar de olhos e a cada arrepio!
Capa Meu Diário Textos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato
Textos
Passeio no sonho
Ganhei a rua no meio da madrugada
Pisei em caminhos barulhentos
Trilhas escondidas em folhas secas,
Caídas, esquecidas pelo dia

O barulho dos cães vizinhos
Que disputa o espaço com os carros
Que trafegam na pista molhada e
Motos mostram que ainda não dormem

Eu que saí para enganar o estresse
Que veio morar comigo há tempos
Senti cheiro da chuva de outrora
Que ainda se faz ali, tão presente

Sentado no banco da praça,
Ouço um vizinho de hábito noturno
Cantar uma música de longe
Lá dos meus tempos de criança

Viajo ao passado dentro de nuvem
Que perde a forma lentamente
E extingue a chuva nova
Na qual minha alma desejava se lavar

É tempo de fazer o caminho de volta
E entrar por detrás do espelho
Que me trouxe ao mundo real
Mais calmo


Luciano Villalba Neto
Enviado por Luciano Villalba Neto em 06/11/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários